Assinatura de contrato com a SANEPAR

10/02/2017


A Brencorp está realizando em conjunto com a SANEPAR, Companhia de Saneamento do Paraná, atividades de lazer e educação nas praias de Guaratuba, Matinhos e Pontal do Paraná. Nos 10 pontos de atendimento do projeto, onde estão as duchas ecológicas do projeto Chuá, os mais de 50 socioeducadores ensinam sobre cuidados com a água, separação de lixo, limpeza da caixa d'água e conservação ambiental.

Nos finais de semana eles trabalham com a distribuição de materiais educativos e lúdicos. Até o final do verão, devem ser entregues para os frequentadores das praias do Paraná cerca de 60.000 gibis, 60.000 viseiras, 200.000 sacolinhas para lixo, 4.000 pipas com carretel e 4.000 frisbes, brinquedos em forma de disco.

As atividades educativas e recreativas da Sanepar ocorrem nos mesmos pontos da Sanepar onde estão disponíveis as 55 duchas ecológicas. Elas já foram utilizadas cerca de 85 mil vezes. Os chuveiros disponibilizados pela Companhia trazem conforto aos banhistas e auxiliam no uso racional da água tratada. Além dos 10 pontos de duchas fixas, a Sanepar também flexibiliza um ponto móvel com duchas para locais onde há eventos ou muita movimentação eventual.

Neste verão, pessoas com deficiência ou dificuldades de locomoção podem utilizar cadeiras específicas para o banho de mar. As cadeiras anfíbias têm rodas especiais que permitem o deslocamento na areia e no mar. Elas possuem cinto de segurança regulável, encosto, assento, apoio cervical para a cabeça e apoio para os pés em tecido emborrachado, removível e lavável. Com capacidade para suportar até 120 kg, elas são flutuantes e confeccionadas em material leve, resistente e inoxidável. Por serem mais altas, permitem que o usuário entre no mar em uma profundidade segura.



Avaliação ambiental estratégica de Belo Horizonte

25/11/2016


O Projeto Consiste na Avaliação Ambiental Estratégica de Belo Horizonete onde a Avaliação corresponde a um processo contínuo e sistemático com enfoque analítico e participativo, que visa identificar e avaliar os efeitos ambientais de políticas, planos e programas, objetivando influenciar a tomada de decisões ainda no estágio inicial do planejamento, juntamente com as de ordem econômicas e sociais.

De acordo com MMA (2002), a adoção desse instrumento permite que o processo de tomada de decisão seja apoiado precocemente com a informação necessária a tomada de decisão possibilitando a melhoria do processo decisório, constituindo-se, desta maneira numa ferramenta adequada para aumentar a probabilidade de êxito na aplicação de princípios sustentáveis no planejamento de políticas, planos e programas.

Segundo PARTIDÁRIO (2007), a AAE é um facilitador de processos de sustentabilidade, e um dos grandes desafios da AAE reside na capacidade de avaliar as possíveis oportunidades e riscos de estratégias de desenvolvimento, tendo em vista os objetivos de desenvolvimento sustentável. A AAE não controla antes, porém, cria condições para assegurar a formulação de estratégias de ação e o encorajamento de decisões sustentáveis.

Assim, a Avaliação Ambiental Estratégica apresenta-se como um novo instrumento de gestão ambiental (MENDES, 2011) que atua a níveis estratégicos e contribui para a incorporação das considerações ambientais, na fase de planejamento, nos fatores críticos de decisão (FCD), isto é, no conjunto de critérios que devem ser considerados em políticas, planos ou programas para o alcance dos objetivos propostos de sustentabilidade em longo prazo.